• José Anchieta Dantas

PODER PARALELO

Na democracia temos o Poder Legislativo e o Poder Executivo, ambos eleitos, e o Poder Judiciário, órgão supremo da Justiça.

Mas existe um poder paralelo: os detentores da concentração de capital e de ativos financeiros, gerando monopólios, oligopólios, poder político e especulações no mercado financeiro e outras formas de manipular o mercado e o funcionamento perfeito da democracia. É o poder econômico. Não é eleito, nem nomeado, mas tem grande influência nos poderes constituídos.

Há cerca de 9.500-8.500 anos a.C, começou a transição do homem coletor e caçador para a agricultura no interior montanhoso do sudeste da Turquia, no oeste do Irã e no levante ( Uma Breve História da Humanidade, capitulo 5 – A maior fraude da história, Yuval Noah Harari. Edição digital).

Acredito que a concentração de capital ( terras) começou aí, quando tribos e famílias iniciaram a posse de terras.

Daí em diante esse processo foi em um crescendo, surgindo latifúndios e outras formas de capital ( máquinas, imóveis, marcas e patentes, estabelecimentos industriais e comerciais ) e estas foram também se concentrando nas mãos de poucos.

A concentração de ativos financeiros começou com o surgimento dos bancos. A origem destes confunde-se com a da própria moeda ( Dicionário de Economia do século XXI, Paulo Sandrini- Banco).

E os primeiros registros sobre moeda remontam ao século VII a.C na Lídia, reino da Ásia Menor e em Peloponeso no sul da Grécia ( idem- Moeda ).

A partir daí foi um crescendo dessas posses nas mãos de poucos até hoje e continuará se agravando, com o poder político e econômico dos seus detentores.

São várias as formas de ativos financeiros que foram aparecendo à proporção das necessidades das atividades econômicas: ações das sociedades anônimas, quotas de capital das sociedades limitadas, aplicações no mercado de capitais, estas de várias modalidades.

Vejamos alguns exemplos danosos causados pela concentração de riquezas e pela especulação.

Jean Bodin ( 1530-1596 ), jurista francês da Renascença, precursor do mercantilismo, já alinhava o monopólio como uma das causas da alta dos preços que ocorria na época na Europa ( História do Pensamento Econômico – O Mercantilismo, capítulo 3.2, Adilson Gennari, edição digital ).

Em 1937, recessão de 1937-1938 ou recessão Roosevelt nos EEUU, o presidente Roosevelt culpou os monopólios e trustes de serem os responsáveis pela crise de 1929 e agora pela recessão nos EEUU ( Uma Breve História das Crises Econômicas, Waldon Volpicelli Alves, edição digital ).

A crise do petróleo em 1973, quando países do oriente médio donos, na época, das maiores reservas de petróleo, monopolizando o seu fornecimento, principalmente os árabes, ordenaram o boicote do aprovisionamento dessa commoditie da qual depende praticamente o mundo todo, gerando uma crise mundial ( Uma Breve História das Crises Econômicas, Waldon Volpicelli Alves, edição digital ).

O Encilhamento, em 1890, quando Rui Barbosa era ministro da Fazenda, governo Marechal Deodoro, lançou uma série de medidas visando desenvolver a economia brasileira. Uma delas foi criar linhas de crédito nos bancos, lastreadas em títulos da dívida pública brasileira ( idem ).

Os bancos recebiam dinheiro do governo e os emprestavam aos empreendedores (idem).

Os empreendedores criavam projetos de empresas e lançavam ações na Bolsa de Valores vendidas a altos preços. E muitos desses negócios não davam lucro( idem).

Devido à pouca fiscalização, os bancos, agiam livremente. Houve um excesso de demanda ao crédito ( idem ), naturalmente facilitada pela avidez por lucro dos bancos.

Surgiu uma onda especulativa ( idem) provocada por investidores, sedentos de ganhos.

Diante desse cenário várias empresas, muitas inviáveis, foram financiadas. Com o excesso de liquidez no mercado – excesso de dinheiro circulando – a inflação disparou (idem).

Com empresas inviáveis e deficitárias, sem condições de honrar seus compromissos nos bancos houve uma quebradeira geral delas e de seus acionistas.

Crise da internet em 2001. Provocada pela quebradeira geral de empresas virtuais em 2001. Anos antes, em 1994, a internet estava em plena expansão.

Houve uma série de criações de empresas ponto.com ( virtuais) com o lançamento de ações na Bolsa.

Em 1995 a Netscape foi a primeira ponto.com a fazer um IPO ( Oferta Pública Inicial de Ações ). Conseguiu um grande afluxo.

Outras seguiram o exemplo: entre elas Google e Amazon. Todas essas ações tiveram excessiva valorização devido à especulação.

Em 2000 muitos investidores perceberam que essa bolha iria estourar e passaram a vender seus papéis, provocando baixa generalizada na cotação e daí se conclui as perdas vultosas decorrentes.

Muitos outros exemplos de crises geradas pela excessiva concentração de capital, de ativos financeiros e pela especulação vamos encontrar na história da atividade econômica.

0 visualização
Faça parte da nossa lista de emails

© 2019 Todos os direitos reservador. 

  • White Facebook Icon
  • White Twitter Icon